Alexey Lukyanuk imbatível no Azores Rallye

Ao volante de Citroën C3 R5, o russo dominou o primeiro dos três dias do rali açoriano, ao vencer as três especiais. Ricardo Moura (Skoda Fabia R5) é o melhor português, no terceiro lugar. Para esta sexta-feira, disputam-se mais sete troços cronometrados com um total de 91,55 quilómetros.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Alexey Lukyanuk/Alexey Arnautov (Citroën C3 R5)

Vencedor da prova açoriana o ano passado, o russo Alexey Lukaynuk (Citroën C3 R5) iniciou da melhor maneira a defesa do título europeu, ao ser o mais rápido nas três primeiras especiais, o que significou uma vantagem de 3,1 segundos sobre o francês Pierre-Louis Loubet (Skoda Fabia R5).

O francês que tinha sido o mais rápido na “Qualifying Stage” parece ser aquele que pode colocar em causa a superioridade do campeão europeu, caso este não cometa um excesso como tantas vezes tem sucedido e que lhe custou o triunfo nos Açores em 2017.

 

Pierre-Louis Loubet/Vincent Landais (Skoda Fabia R5)

Ricardo Moura (Skoda Fabia R5), apesar de alegar ter falta de ritmo, uma vez que desde o Rali dos Açores do ano passado, só regressou à estrada no Rali Serras de Fafe que abriu a temporada este ano, completa o pódio provisório, com 14,5 segundos de vantagem sobre Bruno Magalhães (Hyundai i20 R5), que é sétimo da geral.

Entre os dois o inglês Chris Ingram (Skoda Fabia R5), o alemão Marijan Griebel (VW Polo GTi R5), que optou por não participar na “Qualifying Stage”, para partir mais atrás e foi 19.º na estrada, táctica que parece ter dado resultado, já que é quinto da geral, a escassos 0,5 segundos do inglês, e o polaco Lukasz Habaj (Skoda Fabia R5).

 

Ricardo Moura/António Costa (Skoda Fabia R5)

Comandante do Campeonato de Portugal, Ricardo Teodósio (Skoda Fabia R5) bateu de “traseira”, logo na especial de abertura (Coroa da Mata) e ficou com o carro instável, o que o fez perder algum tempo, mas isso não o impediu de ser o mais rápido entre os pilotos portugueses na Super Especial Marques, depois de Ricardo Moura ter sido o primeiro dos pilotos nacionais nas duas primeiras classificativas.

O campeão açoriano Luís Miguel Rego (Skoda Fabia R5) e o húngaro Norbert Herczig (VW Polo GTi R5) a fecharem o lote dos 10 primeiros.

 

 

Bruno Magalhães/Hugo Magalhães (Hyundai i20 R5)

Em termos de Campeonato dos Açores, e considerando que Ricardo Moura, se aparecer o fará de forma esporádica, o campeão açoriano Luís Miguel Rego ganhou 17,8 segundos a Bernardo Sousa (Citroën C3 R5), que será o seu mais directo adversário na luta pelo título, mas Bernardo Sousa furou o pneu dianteiro direito, no início da segunda especial (Mediana/Remédios) e perdeu algum tempo para o seu principal adversário, sendo 11.º da geral, à frente do brasileiro Paulo Nobre (Skoda Fabia R5) que é para já uma excelente surpresa.

O norueguês Sindre Furuseth (Peugeot 208 R2), 23.º da geral, é o primeiro entre os que tripulam carros de duas rodas motrizes, com 2,8 segundos de avanço sobre o espanhol Efren Llarena (Peugeot 208 R2) e 6,3 segundos sobre o francês Yohan Rossel (Peugeot 208 R2), com Ruben Rodrigues (Peugeot 208 R2), 32.º da geral, a ser o melhor dos portugueses na categoria.

Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda Fabia R5)

Após o “aquecimento” desta quinta-feira, a etapa desta sexta-feira promete ser mais complicada, com os concorrentes a terem de cumprir um dupla passagem pelas especiais do Pico da Pedra (11,00 km – 9h51 e 13h50), mais extensa que a versão anterior, Sete Cidades (24,17 km – 10h39 e 14h38), a classificativa mais longa da prova, e Vista do Rei/Feteiras (8,10 km – 11h32 e 15h31), tal como Pico da Pedra, mais extensa que versão anterior e corrida em sentido contrário, para o dia terminar com a segunda passagem pela Super Especial Marques (4,65 km – 16h26), também ela mais extensa que em anos anteriores.

 

CLASSIFICAÇÃO NO FINAL DA 1.ª ETAPA

1.º Alexey Lukyanuk/Alexey Arnautov (Citroën C3 R5), 18m14,1s

2.º Pierre-Louis Loubet/Vincent Landais (Skoda Fabia R5), a 3,1”

3.º Ricardo Moura/António Costa (Skoda Fabia R5), a 8.0”

4.º Chris Ingram/Ross Whittock (Skoda Fabia R5), a 9,9”

5.º Marijan Griebel/Stefan Kopczyk (VW Polo GTi R5), a 10,4”

6.º Lukasz Habaj/Daniel Dymurski (Skoda Fabia R5), a 11,6”

7.º Bruno Magalhães/Hugo Magalhães (Hyundai i20 R5), a 22,5”

8.º Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda Fabia R5), a 25,0”

9.º Luís Miguel Rego/Jorge Heriques (Skoda Fabia R5), a 26,0”

10.º Norbert Herczig/Roman Ferencz (VW Polo GTi R5), a 30,6”

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação