Alexandre Camacho entra na história da prova

Favorito à partida, o piloto do Team Vespas cingiu-se a certificar o “rótulo” de favorito que lhe foi concedido no início do Rali Vinho Madeira, traduzindo o triunfo sem mácula em 13 das 19 especiais, e revalidou o título madeirense, uma prova antes do final da temporada.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com) – Fotos: DUARTE SÁ

Foi preciso esperar 49 anos para um piloto vencer por três vezes seguidas, o Rali Vinho Madeira, com Alexandre Camacho (Skoda Fabia R5) a igualar o feito alcançado por Américo Nunes, nos já distantes anos de 1968, 1969 e 1970, quando a prova se denominava Volta à Ilha da Madeira.

Favorito à partida, Alexandre Camacho limitou-se a confirmar o favoritismo que lhe era atribuído, traduzido na vitória em 13 das 19 especiais, revalidou o título madeirense, uma prova antes do final da temporada e tornou-se no sexto vencedor noutras tantas provas do Campeonato de Portugal.

Foi uma vitória construída, paulatinamente, com Alexandre Camacho a perder a Super Especial de abertura, para Bruno Magalhães (Hyundai i20 R5), mas assumir o comando logo de seguida, posição que perderia na segunda passagem pelo Palheiro Ferreiro, onde o forte nevoeiro condicionou o seu andamento, para de imediato regressar ao comando, posição que não perderia até final.

Vitória mais que justa de um piloto que conhece profundamente o terreno que pisa e que dispõe de um carro com as afinações ideais para o asfalto madeirense.

O espanhol Jose Maria Lopez (Citroen C3 R5), que fez a estreia na Madeira, foi o mais directo perseguidor do vencedor, chegou a passar pelo comando, ao aproveitar, da melhor maneira, o nevoeiro no Palheiro Ferreiro, mas depois não foi capaz de responder ao andamento de Alexandre Camacho e foi vendo a distância aumentar troço a troço, acabando por, no segundo dia, limitar-se a segurar o segundo lugar.

Bruno Magalhães (Hyundai i20 R5), que pela primeira vez dispôs de um carro com o motor e as afinações certas, completou o pódio, foi o mais pontuado, em termos de Campeonato de Portugal, estando, agora, a 25,8 pontos de Ricardo Teodósio (Skoda Fabia R5), que conserva o comando do campeonato, mas beneficiando do facto de poder pontuar em duas provas, enquanto o piloto do Skoda só o pode fazer numa.

O italiano Giandomenico Basso (Skoda Fabia R5) foi, durante a maior parte da prova, o mais directo perseguidor do português, mas um disco de travão partido, na primeira especial da tarde de hoje, forçou-o ao abandono, com os dois a não conseguirem concretizar o objectivo que perseguiam: serem os primeiros a vencer por cinco vezes a prova madeirense.

Miguel Nunes (Hyundai NG i20 R5), que podia adiar a decisão do título para a derradeira prova do Campeonato da Madeira, nunca esteve em posição de contrariar a superioridade de Alexandre Camacho, ainda tentou atacar o derradeiro lugar do pódio, mas teve de contentar-se com o quarto lugar, à frente de José Pedro Fontes (Citroen C3 R5), segundo do Campeonato de Portugal, e o único que foi capaz de bater Bruno Magalhães em especiais, o que sucedeu por seis vezes, tendo sido o mais rápido na derradeira classificativa.

João Silva (Citroen DS3 R5) foi o terceiro dos madeirenses, à frente de um discreto Armindo Araújo (Hyundai i20 R5) que passou ao lado da prova, tendo apenas conseguido dois resultados entre os seis primeiros em especiais, mas a ganhar nove pontos a Ricardo Teodósio, que comanda o campeonato, na luta pelo título.

Penalizado pelo nevoeiro, situação em que tem dificuldade em conduzir, no Palheiro Ferreiro e com o tempo perdido, por ter partido uma jante e trocado a roda, Ricardo Teodósio foi sétimo entre os envolvidos no Campeonato de Portugal e cedo ficou relegado a uma posição de expectativa por sentir que não podia ir mais além.

Mas o mais infeliz acabaria por ser Pedro Paixão (Skoda Fabia R5), que furou logo no inicio da prova e perdeu mais de um minuto para os mais rápidos, tendo recuperado até ao sétimo lugar, quando podia estar a lutar pelo pódio, para ser forçado a desistir na derradeira especial por ter batido e arrancado uma roda.

TEMPOS DA 19.ª PC – ROSÁRIO 2 (11,37 KM)

1.º, José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroen C3 R5), 6’59,0”

2.º, Alexandre Camacho/Pedro Calado (Skoda Fabia R5), 7’00,3”

3.º, Miguel Nunes/João Paulo (Hyundai NG i20 R5), 7’01,4”

4.º, Jose Maria Lopez/Borja Rozada (Citroen C3 R5), 7’01,9”

5.º, Bruno Magalhães/Hugo Magalhães (Hyundai i20 R5), 7’05,4”

6.º, João Silva/Ricardo Ventura (Citroen DS3 R5), 7’07,5”

7.º, Miguel Barbosa/Jorge Carvalho (Skoda Fabia R5), 7’07,8”

8.º, Pedro Meireles/Mário Castro (VW Polo GTi R5), 7’09,8”

9.º, Armindo Araújo/Luís Ramalho (Hyundai i20 R5), 7’10,8”

10.º, Pedro Mendes Gomes/João Sousa (Peugeot 208 T16 R5), 7’16,2”

FICHA DA PROVA

Prova – Rali Vinho Madeira

Data – 1/3 de Agosto

Organizador – Clube Sports da Madeira

Estrutura – 850,54 km divididos por três secções: Funchal – Funchal (19,90 km); Funchal – Funchal (512,32 km); Funchal – Funchal (318,32 km)

PC – 19 (1 + 10 + 8)

Extensão das PC – 209,16 km (2,18 km + 126,74 km + 80,24 km)

Percentagem das PC – 24,59 %

Inscritos – 63 (21 RC2, 7 RC3, 13 RC4, 6 RC5, 5 RGT, 5 VHC, 5 VSH, 1 CLA)

Participantes – 62 (21 RC2, 6 RC3, 13 RC4, 6 RC5, 5 RGT, 5 VHC, 5 CSH, 1 CLA)

Classificados – 41 (17 RC2, 5 RC3, 6 RC4, 5 RC5, 2 RGT, 2 VHC, 3 VSH, 1 CLA)

Comandantes sucessivos

Absoluto – Bruno Magalhães, na 1.ª PC; Alexandre Camacho, da 2.ª à 4.ª PC; Jose Maria Lopez, na 5.ª PC; Alexandre Camacho, da 6.ª à 19.ª PC

RC2 – Bruno Magalhães, na 1.ª PC; Alexandre Camacho, da 2.ª à 4.ª PC; Jose Maria Lopez, na 5.ª PC; Alexandre Camacho, da 6.ª à 19.ª PC

RC3 – Bruno Fernandes, na 1.ª PC; Vítor Sá, da 2.ª à 6.ª PC; Bruno Fernandes, da 7.ª à 19.ª PC

RC4 – Paulo Nunes, da 1.ª à 4.ª PC; Roberto Canha, da 5.ª à 19.ª PC

RC5 – André Alves, na 1.ª PC; Filipe Gouveia, na 2.ª PC; Bruno Coelho, na 3.ª PC; Filipe Gouveia, da 4.ª à 6.ª PC; Bruno Coelho, na 7.ª e 8.ª PC; Filipe Gouveia, na 9.ª e 10.ª PC; Filipe Fernandes, da 11.ª à 19.ª PC

RGT – Gil Freitas, na 1.ª PC; Filipe Freitas, da 2.ª à 19.ª PC

VHC – Rui Pinto, da 1.ª à 19.ª PC

VSH – José Jarimba, na 1.ª PC; Cláudio Nóbrega, da 2.ª à 19.ª PC

CLA – Mário Oliveira, da 1.ª à 19.ª PC

VENCEDORES

Absoluto – Alexandre Camacho/Pedro Calado (Skoda Fabia R5)

RC2 – Alexandre Camacho/Pedro Calado (Skoda Fabia R5)

RC3 – Bruno Fernandes/Mauro Sousa (Citroen DS3 R3T)

RC4 – Roberto Canha/Diogo Paulino (Peugeot 208 R2)

RC5 – Filipe Fernandes/Diogo Gomes (Toyota Yaris)

RGT – Filipe Freitas/Daniel Figueiroa (Porsche 991 Gt3 Cup)

VHC – Rui Pinto/Ricardo Faria (Ford Focus WRC)

VSH – Cláudio Nóbrega/Alipio Nóbrega (Datsun 1200)

CLA – Mário Oliveira/António Castro (Ford Escort RS)

CLASSIFICAÇÃO FINAL

POS. EQUIPA CARRO TEMPO
1.º Alexandre Camacho/Pedro Calado Skoda Fabia R5 2.12’39,1″
2.º Jose Maria Lopez/Borja Rozada Citroen C3 R5 a 40,3″
3.º Bruno Magalhães/Hugo Magalhães Hyundai i20 R5 a 1’08,3″
4.º Miguel Nunes/João Paulo Hyundai NG i20 R5 a 1’26,2″
5.º José Pedro Fontes/Inês Ponte Citroen DS3 R5 a 1’42,6″
6.º João Silva/Ricardo Ventura Citroen DS3 R5 a 2’36,0″
7.º Armindo Araújo/Luís Ramalho Hyundai i20 R5 a 3’05,6″
8.º Miguel Barbosa/Jorge Eduardo Carvalho Skoda Fabia R5 a 3’28,9″
9.º Pedro Meireles/Mário Castro VW Golf GTi R5 a 4’01,2″
10.º Rui Alberto Pinto/Ricardo Faria Ford Focus WRC a 4’29,7″

OS MAIS RÁPIDOS

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º
Alexandre Camacho 13 3 1 1 0 0
Jose Maria Lopez 2 5 0 5 2 4
Pedro Paixão 2 2 5 3 1 0
Bruno Magalhães 1 1 3 7 3 2
José Pedro Fontes 1 0 2 2 5 2
Miguel Nunes 0 4 4 1 3 4
Giandomenico Basso 0 2 2 0 4 0
João Silva 0 1 1 0 0 6
Ricardo Teodósio 0 1 0 0 0 1
Armindo Araújo 0 0 1 0 1 0

Próxima prova – Rali Terras d’Abororeira, organizado pelo Clube Automóvel de Amarante, nos dias 6 e 7 de Setembro

Classificações, oficiosas dos Campeonatos

PILOTOS

PORTUGAL – 1.º, Ricardo Teodósio, 119,18 pontos; 2.º, Armindo Araújo, 104,44; 3.º, Bruno Magalhães, 93,38; 4.º, Miguel César Barbosa, 70,82; 5.º, José Pedro Fontes, 59,74; 6.º, Ricardo Moura, 46,39; 7.º, Pedro Almeida, 42; 8.º, António Dias, 33; 9.º, Miguel Correia, 32; 10.º, Pedro Meireles, 26 42.

MADEIRA – 1.º, Alexandre Camacho, 155 pontos; 2.º, Miguel Nunes, 133; 3.º, Pedro Paixão, 72; 4.º, Rui Alberto Pinto, 62; 5.º, Bruno Fernandes, 46; 6.º, Gil Freitas, 44; 7.º, João Silva, 37; 8.º, Vítor Sá, 35; 9.º, Paulo Mendes, 23; 10.º, Artur Quintal, 22

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: