Águeda engalanada para o Mundial de MXGP

A jornada pontuável para o “Mundial” de MX1, MX2 e Feminino (WMX) e “Europeu” MX2T, reúne a nata universal da modalidade. A partir das 10h00 deste sábado e 9h45 de domingo, o Crossódromo Internacional de Águeda oferece uma panóplia de provas até ao fim da tarde de cada um dos dias.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

Antonio Cairoli (KTM)

É já este fim-de-semana que a sexta jornada do FIM Campeonato Mundial de Motocross 2019 espalha emoção pelos 1.500 metros de traçado do Crossódromo Internacional de Águeda que, uma vez mais, coloca a cidade bairradina no mapa mundial de MXGP. Pontuável para os Mundiais de MX1, MX2 e WMX (Feminino), bem como para o Europeu MX2T, a jornada aguedense é o cenário perfeito para dar a conhecer os grandes nomes da disciplina.

A categoria MX1, considerada a prova “rainha” da modalidade, está a suscitar enorme expectativa, como não poderia deixar de ser. Concluídas as primeiras cinco provas do calendário desportivo para 2019, a classificação é liderada pelo italiano Antonio Cairoli (KTM), com o eslovaco Tim Gajser (Honda) na segunda posição, distanciado por 40 pontos. Já o francês Gautier Paulin (Yamaha) surge na terceira posição, embora a 66 pontos do italiano.

Tim Gajser (Honda)

Debaixo dos holofotes está, igualmente, Clement Desalle. Aos comandos de uma Kawasaki, o piloto belga está “indiciado” para “bater o pé” a todos os seus adversários, reunindo uma enorme dose de favoritismo ao triunfo, pese embora figure na quinta posição absoluta do Mundial.

O único representante português na principal prova organizada pelo Águeda Action Club (ACTIV) dá-se pelo nome de Sandro Peixe. O piloto ribatejano tem à sua disposição uma Suzuki com a qual será identificada pelo muito público esperado em redor do Crossódromo Internacional de Águeda. Conhecido pela sua tenacidade, Sandro Peixe tudo fará para chegar com êxito à final prevista para domingo, apesar de rodar entre os melhores do mundo. Uma missão difícil, mas não impossível.

 

Gautier Paulin (Yamaha)

Já o Campeonato MX2 é liderado pelo dinamarquês Thomas Kjer Olsen. No entanto, o nórdico da Husqvarna tem no espanhol Jorge Prado (KTM) o seu grande adversário e que se encontra a escassos sete pontos e ansioso por repetir a dupla vitória alcançada na última jornada disputada em Itália. Refira-se que Jorge Prado, vencedor o ano passado em Portugal, esteve ausente em Matterley Basin, no Reino Unido, devido a lesão, ficando em branco. De regresso a Águeda, e perante uma enorme falange de apoio proveniente do país vizinho, a vontade de regressar aos triunfos é enorme.

Também o alemão Henry Jacobi (Kawasaki) é apontado como um sério candidato ao triunfo em Águeda, razão pela qual segue na terceira posição do Mundial MX2. Outros dos pilotos a ter em conta na luta à vitória nesta categoria serão o francês Tom Vialle (KTM), o holandês Davy Pootjes (Husqvarna), o norte-americano Mitchell Evans (Honda) e também o australiano Jed Beaton (Husqvarna).

Sandro Peixe (Suzuki)

Sendo o único Campeonato Mundial onde existe uma categoria exclusivamente reservada às Senhoras, o WXM chega ao Crossódromo Internacional de Águeda com Amandine Verstappen (Yamaha) na liderança.

Contudo, a piloto belga vai enfrentar forte oposição na luta pela vitória, perfilando-se a holandesa Nancy van de Ven (Yamaha) e a neozelandesa Courtney Duncan (Kawasaki) que, legitimamente, não quererão deixar os seus créditos por mãos alheias. Portugal vai estar representada pela jovem piloto Joana Gonçaves aos comandos de uma Husqvarna com o número 364).

Já a jornada europeia pontuável para a EMX2T, Brad Anderson (KTM) surge em Águeda no topo da classificação, seguido de perto por Mike Kras (KTM). Em todas as categorias, a emoção vai andar de mão dada este fim-de-semana de provas no Crossódromo Internacional de Águeda.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação