Adruzilo Lopes vitorioso em Viana do Castelo

Acompanhado desta feita por Paulo Leones, o piloto de Regilde, Felgueiras, voltou a dominar a seu belo prazer o Rali de Viana do Castelo, dando aos pneus Kumho mais uma vitória absoluta em 2021. Henrique Rodrigues e Rafael Cunha destacaram-se nas contas do Desafio Kumho.

(auto.look2010@gmail.com) – Fotos: ZÉ MIGUEL / MOTORSPORT PHOTOGRAPHY

Adruzilo Lopes não “levanta pé”. Nem depois de ter garantido o título absoluto no Campeonato Norte de Ralis, o piloto do Mitsubishi Lancer EVO IX equipado com pneus Kumho perdeu a “sede” de vencer e chegou no 9.º Rali de Viana do Castelo à sexta vitória da temporada da competição.

O piloto não deu veleidades à forte concorrência e liderou de fio-a-pavio, naquela que já era uma prova de consagração e comemoração do seu título no Campeonato Norte de Ralis. Foi a sexta vitória da temporada a norte numa época que está a ser notável. De realçar que os pneus Kumho colocaram mais três duplas no top 10 do rali.

Henrique Rodrigues e Daniel Rodrigues estreavam-se no rali vianense e fizeram-no em grande estilo. Cada vez mais adaptados ao Mitsubishi Lancer EVO IX, a dupla duriense rodou sistematicamente entre os mais rápidos e foi recompensada com a vitória na Divisão 1 do Desafio Kumho Portugal e um 9.º posto absoluto.

Quanto às “estórias” que ergueram a história da Divisão 2, contam, uma vez mais, que a luta pela supremacia nesta divisão é sempre “quente”. A estrearem um Renault Clio RSR Rally5, Miguel Carvalho e António Reis ostentaram um andamento impressionante e lideravam até serem forçados a abandonar, na sequência de um toque.

Com a dupla de fora, três equipas continuaram a brilhar. Rafael Cunha e Gonçalo Cunha acabaram por impor o Peugeot 206 GTi, depois de um duelo muito intenso com as duplas André Ribeiro/João Alves (Peugeot 206 GTi) e Pedro Lopes/Duarte Gouveia (Peugeot 207 GTi), que terminariam, respectivamente, na segunda e na terceira posição, em mais um pódio desta divisão integralmente reservado à marca francesa de Sochaux.

A “batalha” foi muito interessante e desenrolou-se ao longo das sete especiais do rali. No fecho, apenas 4,3 segundos separaram Rafael Cunha e André Ribeiro, com Pedro Lopes a ceder 22,5 segundos pra o vencedor, mas que incluem 10 segundos de penalização num dos controles. Cunha e Ribeiro tiveram ainda o mérito de assegurar a oitava e a décima posição na geral do rali.

O 4.º lugar na Divisão 2 do Desafio Kumho Portugal foi reclamado por Francisco Costa e Fernando Costa, num Citroën Saxo Kit Car, com Pedro Cochofel Holzer a registar mais uma boa prestação, levando, em conjunto com o navegador Miguel Silva, o seu Citroen Saxo Cup ao 5.º lugar na divisão.

Destaque para Luís Costa e Hélder Castro. Sempre muito consistentes ao longo da prova, almejaram tripular o Opel Astra GSi 16V à 6.ª posição da Divisão 2 Kumho, oferecendo ainda aos pneus coreanos o 3.º posto da geral entre os Clássicos.

Apesar dos problemas de turbo no Skoda Fabia TDi, Capela Morais e António Vieira conseguiram terminar a prova, mas o 7.º lugar foi recompensa magra para o andamento que demonstraram antes da falha mecânica os ter feito perder muito tempo.

Logo atrás, Francisco Azevedo e Nuno Ferreira alcançaram mais pontos, com a dupla do Peugeot 205 GTi a segurar o 8.º posto, na frente de Sérgio Freitas e Miguel Rodrigues, nonos no Hyundai Getz TD. O top 10 da Divisão 2 ficou completo com o Peugeot 106 XSi de Telmo Pedro e Paulo Gomes. O resultado ficou condicionado por causa de uma saída de estrada que os fez perder muito tempo.

Entre os desistentes, apenas mais uma equipa teve de abandonar a prova. Rui Antunes e Tago Pinto cederam na 4.ª PEC, com a correia de distribuição do Citroën AX partida. O 4.º Desafio Kumho Portugal volta à estrada já no próximo fim-de-semana. Será a sul, no Rally Casinos do Algarve, pontuável para os Desafios Kumho Sul e Asfalto e que decorre a 4 e 5 de Dezembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *