Adrien van Beveren já lidera nas duas rodas

O chileno José Ignacio Cornejo (Honda) foi o mais rápido a completar a sétima etapa nas motos da 44.ª edição do Rali Dakar, entre Riyahd e Al Dawadimi, mas foi o francês Adrien van Beveren (Yamaha) a assumir a liderança em termos globais.

PEDRO RORIZ E CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com)

Adrien van Beveren (Yamaha)

Não podia ter tido melhor começo a segunda semana do Rali Dakar na categoria das motos, com o regresso às pistas a colocar os sete primeiros separados por menos de 10 minutos, o que deixa tudo em aberto para o que falta percorrer. Apesar de só ter sido 10.º na especial, ganho pelo chileno Jose Ignacio Cornejo (Honda), o francês Adrien van Beveren (Yamaha) saltou para o comando da classificação. O piloto Monster Energy Yamaha Rally Team deu assim início à segunda semana do Rali Dakar de 2022 em grande estilo.

Depois de completar com sucesso as sete primeiras etapas da prova desenhada pela Amaury Sport Organisation (ASO), Adrien van Beveren assumiu a liderança entre as duas rodas, prosseguindo o que tem sido uma prova incrivelmente promissora para o francês. O piloto da Yamaha possui 5m12s de avanço sobre o austríaco Matthias Walkner (KTM), que manteve o segundo lugar, e 5m23s sobre o vencedor da edição de 2021, o argentino Kevin Benavides (KTM), segundo na etapa, a 44s do chileno.

Jose Ignacio Cornejo (Honda)

O inglês Sam Sunderland (GasGas), que partiu de Riyahd no comando, foi 28.º no Sector Selectivo, perdeu 25m55s e caiu para quarto da geral, a 5m38s do francês, com o espanhol Lorenzo Santolini (Sherco), o chileno Pablo Quintanilla (Honda) e o espanhol Joan Barreda Bort (Honda), que compete com uma clavícula partida desde quinta-feira, a completarem o lote de pilotos que lutam pela vitória.

De assinalar que o australiano Daniel Sanders (GasGas), que foi o primeiro comandante da prova, ocupava o quarto lugar da geral e devia a abrir a pista, não alinhou à partida do SS, em consequência de um acidente na ligação.

Joaquim Rodrigues Jr. (Hero)

JOAQUIM RODRIGUES JR. LIDEROU ARMADA LUSITANA

Entre os portugueses, Joaquim Rodrigues Jr. (Hero) voltou a ser o mais rápido ao terminar o Sector Selectivo no sexto posto, como consequência de uma boa fase final, o que significa que é a quarta vez que termina no lote dos 10 mais rápidos. O piloto de Barcelos subiu dois lugares na geral, sendo agora o 16.º.

O piloto de Vidago, Rui Gonçalves (Sherco), terminou a etapa na 16.ª posição, a 17m23s do chileno, enquanto o alentejano António Maio (Yamaha) fechou a sétima tirada no 30.º lugar, a 27m42s, do vencedor.

Na classificação geral, o piloto da marca dos três diapasões com as cores Franco Sport Yamaha Racing Team está na 25.ª posição, a 25h36m 00s de Adrien Van Beveren. Já Rui Gonçalves ocupa o 30.º lugar, a 2h17m14s.

Mário Patrão (KTM)

O piloto de Seia, Mário Patrão (KTM), que alinha na classe “Original by Motul”, terminou hoje a etapa na 62.ª posição, a 1h08m06s, enquanto na classificação geral ocupa o 51.º posto, a 6h26m44s.

Arcélio Couto (Honda) terminou em 87.º, a 1h24m17s, Alexandre Azinhais (KTM), em 89.º, a 1h26m42s, Pedro Bianchi Prata (Honda), em 113.º, a 2h12m37s e 114.º Paulo Oliveira (KTM), a 2h14m26. Na geral, Alexandre Azinhais (KTM) ocupa o 70.º lugar, a 8h39m39s, Arcélio Couto (Honda) no 80.º, a 9h41m57s, Pedro Bianchi Prata (Honda), no 101.º, a 13h05m11s; e Paulo Oliveira (KTM), no 103.º lugar, a 13h42m20s.

ETAPA DE AMANHÃ

A etapa de amanhã estabelece a ligação entre Al Dawadimi e Wadi Ad-Dawasir, localidade onde a caravana regressa no dia seguinte, depois de uma etapa que tem partida e chegada no mesmo local. A etapa é composta por 435 quilómetros, dos quais 395 de especial, com os primeiros 200 a decorrerem em piso de areia e com sucessivas cadeias de dunas, com a organização a admitir que muitos cheguem de noite face às dificuldades do traçado e às “armadilhas” da navegação.

CLASSIFICAÇÕES

SECTOR SELECTIVO (402 KM)

MOTOS – 1.º, Jose Ignacio Cornejo (Honda), 3.28’46”; 2.º, Kevin Benavides (KTM), a 44”; 3.º, Joan Barreda Bort (Honda), a 2’51”; 4.º, Luciano Benavides (Husqvarna), a 7’50”; 5.º, Lorenzo Santolini (Sherco), a 8’29”; 6.º, Joaquim Rodrigues (Hero), a 8’57”; 7.º, Ricky Brabec (Honda), a 9’49”; 8.º, Andrew Short (Yamaha), a 10’15”; 9.º, Toby Price (KTM), a 10’37”; 10.º, Adrien Van Beveren (Yamaha), a 12.34”; …; 16.º, Rui Gonçalves (Sherco), a 17’23”; …; 30.º, António Maio (Yamaha), a 27’42”; …; 62.º, Mário Patrão (KTM), a 1.08’06”; …; 87.º, Arcélio Couto (Honda), a 1.24’17”; …; 89.º, Alexandre Azinhais (KTM), a 1.26’42”; …; 113.º, Pedro Bianchi Prata (Honda), a 2.12’37”; 114.º Paulo Oliveira (KTM), a 2h14m26.

GERAL

MOTOS – 1.º, Adrien Van Beveren (Yamaha), 23.45’02”; 2.º, Matthias Walkner (KTM), a 5’12”; 3.º, Kevin Benavides (KTM), a 5’23”; 4.º, Sam Sunderland (GasGas), a 5’38”; 5.º, Lorenzo Santolino (Sherco), a 6’34”; 6.º, Pablo Quintanilla (Honda), a 8’15”; 7.º, Joan Barreda Bort (Honda), a 8’33”;

8.º, Stefan Svitko (KTM), a 20’18”; 9.º, Jose Ignacio Cornejo (Honda), a 26’37”; 10.º, Andrew Short (Yamaha), a 28’10”; …; 16.º, Joaquim Rodrigues (Hero), a 53’45”; …; 25.º, António Maio (Yamaha), a 1.50’58”; …; 30.º, Rui Gonçalves (Sherco), a 2.17’14”; …; 51.º, Mário Patrão (KTM), a 6’26’44”; …; 70.º, Alexandre Azinhais (KTM), a 8.39’39”; …; 80.º, Arcélio Couto (Honda), a 9.41’57”; …; 101.º, Pedro Bianchi Prata (Honda), a 13.05’11”; …; 103.º Paulo Oliveira (KTM), a 13h42m20s.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *