Abril decisões mil sobre o… Rali de Portugal

O Covid-19, provocada pelo novo coronavírus, está a paralisar o mundo, tendo sido oficialmente declarado uma epidemia, provocando a mudança em termo de definição de todos os países, muitos dos quais a restringir ou mesmo a barrar a entrada de estrangeiros nas fronteiras e aeroportos. O Vodafone Rali de Portugal está á porta e a sua realização é hoje uma absoluta incerteza…

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt) – Fotos: JORGE CUNHA E ALBANO LOUREIRO / AIFA

O surto de coronavírus em provas e eventos desportivos está ser nefasto para o mundo e não escolhe fronteiras nem países para entrar e espalhar o terror. As suas implicações ganham, todos os dias, avanços e recuos, numa guerra sem precedentes, perante um inimigo comum a todos os países no mundo inteiro: o Covid-19.

O coronavírus não escolhe cores, não escolhe religião, não escolhe estrato social, idades nem sexo, mas os números todos os dias são actualizados e vão sendo conhecidos adiamentos, suspensões e cancelamentos à medida que forem sendo também públicos as suas consequências. Em Portugal, por exemplo, está tudo parado e, em termos desportivos, nada faz mover a emoção de quem quer que seja e onde quer que estejam.

As modalidades desportivas estão suspensas por tempo indeterminado. O mundo também está parado. A Fórmula 1 não se fez à pista no Grande Prémio da Austrália, até porque surgiram membros de equipas a testar positivo por coronavírus. Para o MotoGP, estava previsto que o mundial arrancasse no Qatar, mas devido ao período de quarentena imposto a todos os voos vindos de Itália, a prova foi cancelada, pois várias equipas têm pilotos e membros nesse país.

O Grande Prémio do Mónaco, previsto para 24 de Maio, exactamente no dia em que deverá disputar-se o derradeiro dia do Vodafone Rali de Portugal, foi esta quinta-feira cancelado, estando prevista a primeira prova da temporada marcada para o Azerbaijão, a 7 de Junho.

No WRC, o Rali do México terminou mais cedo para permitir a pilotos e equipas regressar aos seus países de origem com os aeroportos abertos e sem lhes criar dificuldades e o Rali da Argentina foi adiado. Na terceira semana de Maio, ou seja, dentro de dois meses, está prevista a realização do Vodafone Rali de Portugal, mas as dúvidas persistem relativamente à sua efectivação.

Neste “tsunami” de incertezas, os portugueses e os aficionados dos ralis esperam e desesperam por uma decisão, a qual deverá ser conhecida em Abril, embora seja prematuro adiantar seja o que for dada ainda a progressão do coronavírus, que continua a adiar provas no mundo inteiro.

Por outro lado, o Covid-19, em pouco tempo, foi capaz de evidenciar a vulnerabilidade do sistema financeiro e das instituições público-privadas que deveriam apresentar determinadas respostas em favor do bem comum. Desde a fragilidade e incompetência dos governos, presos aos seus próprios interesses ou que minimizam o problema e dos sistemas de saúde incapazes de lidar com tamanha emergência.

Perante este cenário, a realização, ou não, do Vodafone Rali de Portugal, deverá ser conhecido e, segundo Oliver Ciesla, promotor do WRC, não será tomada qualquer decisão até que haja uma orientação clara a nível governamental.

«De momento, todas as organizações continuarão a preparar os seus eventos como se tudo estivesse a acontecer normalmente. O nosso próximo momento para tomada de decisões será na primeira semana de Abril, altura em que a maioria dos governos tomará novas decisões e fará novas estimativas sobre o evoluir da situação no seu país. E essa será a base que precisamos para decidir o que fazer, e tudo o resto é perfeitamente irrelevante neste momento», sublinhou Oliver Ciesla.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: