A vez de Joaquim Rodrigues Jr.…

O espanhol Joan Barreda (Honda) venceu a quarta de 12 etapas da 43.ª edição do Dakar, mas o novo líder é o francês Xavier De Soultrait (Husqvarna). Já o português Rui Gonçalves Jr. (Hero) encerrou o dia na sexta posição…

PEDRO RORIZ E CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.pt)

Um dia depois de Rui Gonçalves (Sherco Factory) ter sido nono no Sector Selectivo (SS), Joaquim Rodrigues Jr. (Hero) fez melhor ao ser sexto, atrás do francês Xavier De Soultrait (Husqvarna), quinto comandante, noutros tantos dias de prova, nas duas rodas.

Para Xavier De Soultrait, depois de quatro anos aos comandos de uma Yamaha, a mudança a para a Husqvarna não podia ser melhor, com o piloto a confessar que «apaixonei-me por esta moto desde o primeiro dia e desde a primeira corrida, na Turquia, que estou à vontade e com argumento para rolar com os “cracks”».

O espanhol Joan Barreda Bort (Honda) foi o mais rápido no SS, que teve cinco motos de marcas diferentes nas seis primeiras posições, a a Husqvarna a ser a única a bisar.

Graças ao triunfo no SS, o espanhol ascendeu ao segundo lugar da geral a escassos 15” do francês, com o americano Skyler Howes (KTM), o melhor dos pilotos da marca austríaca, 20.º no SS, a descer para quinto, atrás, ainda, do argentino Kevin Benavides (Honda) e do botswano Ross Branch (Yamaha).

Mas nada está decidido, como o demonstram as constantes mudanças de posição, por quem abre a pista sentir dificuldades acrescidas, já que os 10 primeiros estão separados por menos de 10 minutos.

No que diz respeito aos portugueses, o sexto lugar no SS permitiu a Joaquim Rodrigues Jr. subir três posições e ascender ao 16.º lugar da geral, a 10m05s do “top ten”, Sébastian Buhler (Hero) foi 24.º no SS e manteve essa posição na geral, mas Rui Gonçalves (Sherco Factory), depois do brilharete de ontem, teve um dia para esquecer foi 42.º no SS e desceu para 28.º, perdendo seis lugares, com Alexandre Azinhais (KTM) a quedar-se pelo km 22 do SS com problemas de motor.

NASSER AL-ATTIYAH VENCE

PELA TERCEIRA VEZ CONSECUTIVA…

Nos automóveis, está ao rubro a luta entre o qatari Nasser Al-Attiyah (Toyota Hilux), que só não foi o mais rápido no SS do segundo dia da competição, e o francês Stéphane Peterhansel (Mini JCW Buggy), que nesse dia ganhou uma vantagem que tem estado a gerir. Hoje, nos 337 km do SS, o qatari foi 11” (!) mais rápido que o francês, reduziu o atraso para 4’58” e está a fazer tudo para neutralizar o tempo perdido e regressar ao primeiro lugar, que foi seu após o prólogo.

Para Nasser Al-Attiyah, «a etapa não foi fácil, estivemos perdidos cerca de um minuto, mas isso sucedeu a todos, pelo que é difícil ganhar tempo»

Por sua vez, o francês termina no comando pelo terceiro dia consecutivo, com o espanhol Carlos Sainz (Mini JCW Buggy) a ascender ao terceiro lugar, mas já a mais de meia hora do duo da frente.

O qatari foi durante grande parte do SS seguido pelo sul-africano Henk Lategan (Toyota Overdrive), mas na parte final, Stéphane Peterhansel recuperou terreno e minimizou o tempo perdido na fase inicial.

Entre os portugueses, Filipe Palmeiro, que navega o lituano Benediktas Vanagas (Toyota Hilux), voltou a ser o melhor. Hoje terminou no 21.º lugar no SS, com a dupla luso-lituana a manter o mesmo lugar na geral, enquanto Ricardo Porém (Borgward) foi 39.º no SS, quatro lugares á frente do lituano Gintas Petrus (Optimus), que é acompanhado pelo português José Marques, com Ricardo Porém e Gintas Petrus a subirem um lugar na geral sendo, respectivamente, 32.º e 41.º.

 

Nos SSV excelente oitavo tempo no SS, para Rui Carneiro (MMP) que continua a recuperar lugares, depois de ser 54.º no final do segundo dia, com o polaco Aron Domzala (Can-Am) a ser o mais rápido no SS e o espanhol Francisco Lopez Cortado (Can-Am), quinto no SS, a conservar o comando da categoria, com 3’18” de vantagem sobre o polaco, tudo apontando para que sejam estes dois a lutar pelo triunfo, embora não sejam de descartar as hipóteses do americano Austin Jones (Can-Am), terceiro a menos de 10 minutos do espanhol.

O inglês Kris Meeke (PH-Sport), que tinha sido o mais rápido no Prólogo, voltou a mostrar-se ao registar o segundo tempo no SS. Mau dia para Lourenço Rosa (Can-Am) que começou por integrar o lote dos 10 mais rápidos, mas que perdeu tempo, para terminar o SS no 32.º lugar, o que o fez cair de 15.º para 17.º da geral.

CLASSIFICAÇÕES

Sector Selectivo (337 km)

Motos – 1.º, Joan Barreda Bort (Honda), 2.46’50”; 2.º, Ross Branch (Yamaha), a 5’57”; 3.º, Daniel Sanders (KTM), a 6’09”; 4.º, Luciano Benavides (Husqvarna), a 6’22”; 5.º, Xavier De Soultrait (Husqvarna), a 7’19”; 6.º, Joaquim Rodrigues (Hero), a 7’21”; 7.º, Jose Cornejo (Honda), a 7’29”; 8.º, Pablo Quintanilla (Husqarna), a 7’34”; 9.º, Stefan Svitko (KTM), a 8’46”; 10.º, Adrien Van Beveren (Yamaha), a 9’22”; …; 24.º, Sebastian Buhler (Hero), a 17’19”; …; 42.º, Rui Gonçalves (Sherco Factory), a 43’50”

Automóveis – 1.º, Nasser Al-Attiyah/Matheu Baumel (Toyota Hilux), 2.35’59”; 2.º, Stéphane Peterhansel/Edouard Boulanger (Mini JCW Buggy), a 11”; 3.º, Henk Lategan/Brett Cummings (Toyota Hilux), a 1’30”; 4.º, Sébastien Loeb/Daniel Elena (Hunter BRX), a 2’36”; 5.º, Carlos Sainz/Lucas Cruz (Mini JCW Buggy), a 2’56”; 6.º, Jakub Przygonski/Timo Gottschalk (Toyota Overdrive), a 5’05”; 7.º, Khalid Al Qassimi/Xavier Panseri (Peugeot 3008 DKR), a 7’22”; 8.º, Vladimir Vasilyev/Dmitro Tsyro (Mini JCW Rally), a 10’45”; 9.º, Orlando Terranova/Bernardo Graue (Mini JCW Rally), a 10,54”; 10.º, Erik Von Loon/Sébastien Delaunay (Toyota Hilux), a 11’07”; …; 21.º, Benediktas Vanagas/Filipe Palmeiro (Toyota Hilux), a 20’19”; …; 39.º, Ricardo Porém/Jorge Monteiro (Borgward), a 34’17”; …;  43.º, Gintias Petrus/José Marques (Optimus), a 42’00”.

SSV – 1.º, Arion Domzala/Maciej Marton (Can-Am), 3.16’57”; 2.º, Kris Meeke/Wouter Rosegaar (PH-Sport), a 1’45”; 3.º, Michel Guthrie/Ola Floene (OT3), a 1’51”; 4.º, Michal Goczal/Szymon Gospodarczyk (Can-Am), a 2’44”; 5.º, Austin Jones/Gustavo Gugelmin (Can-Am), a 2’48”; …; 8.º, Rui Carneiro/Filipe Serra (MMP), a 7’03”; …; 32.º, Lourenço Rosa/Joaquim Dias (Can-AM), a 38’17”

Geral

Motos – 1.º, Xavier De Soultrait (Husqvarna), 15.00’25”; 2.º, Joan Barreda Bort (Honda), a 15”; 3.º, Kevin Benavides (Honda), a 3’24”; 4.º, Ross Branch (Yamaha), a 4’24”; 5.º, Skyler Howes (KTM), a 4’26”; 6.º, Luciano Benavides (Husqvarna), a 5’31”; 7.º, Sam Sunderland (KTM), a 7’13”; 8.º, Toby Price (KTM), a 7’47”; 9.º, Jose Cornejo (Honda), a 8’06”; 10.º, Pablo Quintanilla (Husqvarna), a 9’31”; …; 16.º, Joaquim Rodrigues (Hero), a 19’36”; …; 24.º, Sebastian Buhler (Hero), a 48’48”; …; 28.º, 22.º, Rui Gonçalves (Sherco Factory), a 1.11’44”

Automóveis – 1.º, Stéphane Peterhansel/Edouard Boulanger (Mini JCW Buggy), 13.15’12”; 2.º, Nasser Al-Attiyah/Matheu Baumel (Toyota Hilux), 4’58”; 3.º, Carlos Sainz/Lucas Cruz (Mini JCW Buggy), a 36’19”; 4.º, Sébastien Loeb/Daniel Elena (Hunter BRX), a 48’14”; 5.º, Henk Lategan/Brett Cummings (Toyota Hilux), a 48’44”; 6.º, Jakub Przygonski/Timo Gottschalk (Toyota Hilux), a 49’16”; 7.º, Mathieu Serradori/Fabian Lurquin (Century), a 26’21”; 8.º, Khalid Al Qassimi/Xavier Panseri (Peugeot 3008 DKR), a 59’19”; 9.º, Martin Prokop/Viktor Chytka (Ford RS Cross Country), a 1.08’51”; 10.º, Nani Roma/Alexandre Winocq (Hunter BRX), a 1.17’50”; …; 21.º, Benediktias Vanagas/Filipe Palmeiro (Toyota Hilux), a 1.55’37”; …;

32.º, Ricardo Porém/Jorge Monteiro (Borgward), a 3.12’09”; …;

41.º, Gintias Petrus/José Marques (Optimus), a 4.31’18”.

SSV – 1.º, Francisco Lopez/Juan Pablo Latrach (Can-Am), 16.38’57”; 2.º, Aron Donzala/Maciej Marton (Can-Am), a 3’18”; 3.º, Austin Jones/Gustavo Guglemin (Can-Am), a 7’11”; 4.º, Sergei Kariakin/Anton Vlasiuk (Can-Am), a 21’39”; 5.º, Seth Quintero/Dennis Zenz (OT3), a 23’52”; …; 17.º, Lourenço Rosa/Joaquim Dias (Can-Am), a 1.56’19”…; 28.º, Rui Carneiro/Filipe Serra (MMP), a 6’38’45”

ETAPA DE AMANHÃ

Amanhã, os concorrentes têm pela frente um percurso de 625 km, entre Riyadh e Buraydah, com o SS a ter uma extensão de 419 km. As dunas e as pedras vão condicionar os andamentos, com as dunas a puderem implicar perda de tempo, quando alguém ficar “pendurado” ou “enterrado na areia, e as pedras a ameaçarem furar os pneus, o que será mais uma preocupação para aqueles que têm de gerir o andamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *