MotoGP

Decisão do título de MotoGP: Bagnaia x Martín

Uma semana depois do espanhol Pedro Acosta (Kalex) ter garantido, na Malásia, o título mundial de Moto2, a deslocação para o Qatar pode levar às decisões dos títulos de MotoGP e Moto3, embora isso só seja possível se se verificarem circunstâncias muito especificas.

No caso do título de MotoGP, o italiano Francesco Bagnaia (Ducati) entra, no traçado qatari, com 14 pontos de vantagem sobre o espanhol Jorge Martin (Ducati) e poderá revalidar o título se somar mais 23 pontos que o seu adversário, no conjunto das duas corridas.

Por aquilo que tem sucedido, ao longo da temporada, parece difícil que isso suceda, a menos que o espanhol fique em branco e o campeão do mundo consiga os tais 23 pontos que lhe permitiram garantir a revalidação do ceptro, uma semana antes da corrida de Valência que encerra a temporada.

Sendo ambos pilotos da Ducati, mas de formações diferentes, Francesco Bagnaia na Ducati Lenovo Team, a equipa oficial, e Jorge Martin da Prima Parmac Racing, e tendo a marca de Borgo Panigale a garantia da conquista dos títulos de 2023, os dois vão ter carta branca para lutarem pelo título.

Serão os seus adversários e os companheiros de equipa, o italiano Enea Bastianini, no primeiro caso, e o francês Johann Zarco, no segundo, a condicionarem a decisão final. Contudo, não será de excluir que haja, se possível, “jogo de equipa”, como sucedeu na corrida “Sprint” na Malásia, onde Enea Bastianini seguiu Francesco Bagnaia como uma “sombra”, sem nunca forçar a ultrapassagem, apesar de estar a ser maus rápido que o seu compatriota.

Para o português Miguel Oliveira (Aprilia), que fez um campeonato abaixo das expectativas, o objetivo passa por somar o maior número de pontos possível nas duas corridas que faltam.

No que diz respeito ao Campeonato de Moto3, a decisão só deverá ser conhecida para a semana, no traçado valenciano, uma vez que o espanhol Jaume Masia (Honda), o japonês Ayumu Sasaki (Husqvarna), o colombiano David Alonso (GasGas), o espanhol Daniel Holgado (KTM) e o turco Deniz Öncü (KTM) estão separados por 50 pontos.

Tantos quantos estão ainda em jogo, o que deixa o turco praticamente de fora da discussão do título, que tem nos dois primeiros os maiores candidatos, com o colombiano e Daniel Holgado a puderem interferir face aos pontos que “roubarem” aos candidatos.

Em Moto2, com as duas primeiras posições do campeonato entregues a Pedro Acosta e ao italiano Tony Arbolino (Kalex) falta decidir quem ocupa o derradeiro degrau do pódio final.

O inglês Jake Dixon (Kalex) e o espanhol Fermin Aldeguer (Boscoscuro), vencedor das duas últimas corridas, a serem candidatos e com o primeiro a precisar de somar mais cinco pontos que o seu adversário para garantir o terceiro lugar final.

 

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

MOTOGP

PILOTOS – 1.º, Francesco Bagnaia, 412 pontos; 2.º, Jorge Martin, 398; 3.º, Marco Bezzecchi, 323; 4.º, Brad Binder, 254; 5.º, Johann Zarco, 200; 6.º, Aleix Espargaro, 198; 7.º, Maverick Viñales, 175; 8.º, Luca Marini, 171; 9.º, Fabio Quartararo, 156; 10.º, Jack Miller, 156; …; 16.º, Miguel Oliveira, 76. Estão classificados mais 13 pilotos

CONSTRUTORES – 1.º, Ducati, 626 pontos; 2.º, KTM, 334; 3.º, Aprilia, 292; 5.º, Yamaha, 176; 4.º, Honda, 169

EQUIPAS – 1.º, Prima Pramac Racing, 598 pontos; 2.º, Ducati Lenovo Team, 498; 3.º, Mooney VR46 Racing Team, 494; 4.º, Red Bull KTM Factory Racing, 410; 5.º, Aprilia Racing, 373; 6.º, Gresini Racing MotoGP, 249; 7.º, Monster Energy Yamaha MotoGP, 249; 8.º, Cryptodata RNF MotoGP Team, 120; 9.º, LCR Honda, 112; 10.º, Repsol Honda Team 108; 11.º, GasGas Factory Racing Tech3, 91

MOTO2

PILOTOS – 1.º, Pedro Acosta, 320,5 pontos; 2.º, Tony Arbolino, 243,5; 3.º, Jake Dixon, 183; 4.º, Fermin Aldeguer, 162; 5.º, Aron Canet, 159; 6.º, Somkiat Chantra, 153,5; 7.º, Alonso Lopez, 127; 8.º, Manuel Gonzalez, 122,5; 9.º, Ai Ogura, 119,5; 9.º, Filip Salac, 110. Estão classificados mais 18 pilotos

CONSTRUTORES – 1.º Kalex, 422,5 pontos; 2.º, Boscoscuro, 236; 3.º, Forward, 4

EQUIPAS – 1.º, Red Bull KTM Ajo, 399,5 pontos; 2.º ELF Marc VDS Racing Team, 334,5; 3.º, Beta Tools Speedup, 289; 4.º, Idemitsu Honda Team Asia, 273; 5.º, Pons Wegow LOS40; 243; 6.º, Inde GASGAS Aspar Team, 203; 7.º, QJ Motor Gresini Moto2, 156,5; 8.º, Correos Prepago Yamaha VR46 M, 122,5; 9.º, Italtrans Racing Team, 108,5; 10.º, Fantic Racing, 106; 11.º, Fieten Olie Racing GP, 70; 12.º, Onlyfans American Racing, 51; 13.º, Liqui Molly Husqvarna Intact GP, 44; 14.º, Pertamina Mandalika SAG Team, 34,5; 15.º, Forward Team, 4.

MOTO3

PILOTOS – 1.º, Jaume Masia, 246 pontos; 2.º, Ayumu Sasaki, 233; 3.º, David Alonso, 205; 3.º, Daniel Holgado, 205; 5.º, Deniz Öncü, 196; 6.º, Ivan Ortola, 170; 7.º, Diogo Moreira, 131; 8.º, Collin Veijer, 130; 9.º, Jose António Rueda, 111; 10.º, David Muñoz, 102. Estão classificados mais 21 pilotos

CONSTRUTORES – 1.º KTM, 362 pontos; 2.º, Honda, 297; 3.º Husqvarna, 272; 4.º, GasGas, 230; 5.º, CFMoto, 101

EQUIPAS – 1.º, Liqui Moly Husqvarna Intact GP, 363 pontos; 2.º Leopard Racing, 319; 3.º, Red Bull KTM Ajo, 307; 4.º, Gaviota GasGas Aspar Team, 283; 5.º, Angeluss MTA Team, 271; 6.º, Red Bull KTM Tech3, 220; 7.º, SIC58 Squadra Corse, 163; 8.º, MT Helmets – MSI, 136; 9.º, CFMoto Racing Pruestel GP; 126; 10.º, BOE Motorsports, 106; 11.º, Rivacold Snipers Team, 83; 12.º, Honda Team Asia, 60; 13.º, CIP Green Power, 54; 14.º, Visiontrack Racing Team, 29.

Partilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *