50.ª vitória de Sébastien Ogier no “Mundial”

O piloto francês venceu hoje o Rali de Monte Carlo, na abertura do Campeonato do Mundo da especialidade, pela oitava vez na sua carreira, estabelecendo um novo máximo de vitórias nesta corrida, chegando às 50 no “Mundial”.

PEDRO RORIZ E CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com)

A dupla Sébastien Ogier/Julian Ingrassia (Toyota Yaris WRC/Toyota Gazoo Racing WRT) venceu pela oitava vez o Rali de Monte Carlo, prova de abertura do WRC (Campeonato do Mundo de Ralis) e tornou-se recordista, desempatando a seu favor a igualdade que partilhavam com os seus compatriotas, Sébastien Loeb e Daniel Elena.

Uma vitória que não surpreendeu, pois, desde o momento em que passou para a frente, sentiu-se que o francês era aquele que melhor estava a adaptar-se às difíceis condições de aderência do asfalto, onde neve, gelo e “verglas” foram uma constante.

Ao gerir de modo eficaz, a vantagem que com arrancou para os derradeiros quatro troços, Sébastian Ogier regressou a Monte Carlo como vencedor, naquela que é a sua 50.ª vitória “Mundial”. De açodo com o vencedor, «o fim-de-semana não foi mau, o carro esteve impecável e deu-me tamanho prazer guiá-lo e, por isso, penso que foi uma boa decisão fazer mais um ano».

Com este triunfo, Sébastien Ogier ultrapassou o compatriota Sébastien Loeb, que conta sete vitórias em Monte Carlo, tornando-se o piloto que mais vezes venceu a mítica prova do principado (em 2009, 2014, 2015, 2016, 2017, 2018, 2019 e 2021) e com quatro marcas diferentes (VW, Ford, Citroën e Toyota) em três décadas diferentes.

O piloto da Toyota somou ainda mais cinco pontos pelo triunfo na “Power Stage”, a derradeira especial do rali que distribui 15 pontos pelos cinco mais rápidos, sendo líder do campeonato com 30 pontos, mais nove do que Evans, que é segundo com 21, e 13 do que Neuville que é terceiro, com 17. O finlandês Kalle Rovanperä (Toyota Yaris) é quarto, com 16.

O inglês Elfyn Evans (Toyota Yaris WRC/Toyota Gazoo Racing WRT), que chegou a passar pelo comando e que foi o seu mais directo adversário, terminou em segundo, à frente de Thierry Neuville (Hyundai i20 Coupé WRC/Hyundai Shell Mobis WRT) que, logo na primeira especial do dia, ascendeu ao derradeiro lugar do pódio.

O piloto belga tirou partido do furo que atrasou o finlandês Kalle Rovampera (Toyota Yaris WRC/Toyota Gazoo Racing WRT) e impediu a marca japonesa de monopolizar o pódio na estreia do seu compatriota Jari-Matti Latvala como director de equipa.

Já Elfyn Evans reconhecia que «o resultado é bom, porque nunca me senti 100% confiante, mas o “Seb” foi melhor e é sempre muito difícil bate-lo neste rali», enquanto Thierry Neuville não escondia «a satisfação por ter chegado ao fim, no pódio, porque tivemos que enfrentar um enorme desafio, com a troca do navegador, no último minuto, mas o Martijn fez um excelente trabalho na estreia no WRC».

O norueguês Andreas Mikkelsen (Skoda Fabia Rally2 Evo/Toksport WRC) dominou de forma clara entre os RC2 e assumiu de forma clara a candidatura ao respectivo título, objectivo que persegue para poder voltar a guiar um WRC.

A dupla Gus Greensmith e Elliott Edmondson (Ford Fiesta WRC/M-Sport Ford WRT) terminou o rali atrás do melhor no WRC2, Andreas Mikkelsen/Ola Floene (Skoda Fabia R5 Evo). U  desfecho no mínimo “angustiante” se atendermos que o piloto inglês assume o papel chefe de fila da M-Sport no Mundial de Ralis.

Mas os quase dois minutos de vantagem sobre o francês Adrien Fourmaux (Ford Fiesta MK II/M-Sport Ford WRT) e o facto de ter ficado à frente do inglês Gus Greensmith (Ford Fiesta WRC/M-Sport Ford WRT), que teve de levar o carro até ao fim para compensar a equipa do despiste, logo na especial de abertura, quando estava a caminho de ser o primeiro comandante da prova, do finlandês Temmu Suninen (Ford Fiesta WRC/M-Sport Ford WRT), podem ser um bom argumento para, a curto prazo, encontrar o volante de um WRC, eventualmente na marca da oval, já que os responsáveis não ficaram nada satisfeitos com o sucedido.

O francês Eric Camilli (Citroën C3 Rally2/Sports & You), que conta com a assistência da portuguesa Sports & You, fechou o lote dos 10 primeiros e completou o pódio dos RC2, depois de ter entrado para a “Power Stage” a 1,4” do norueguês Oliver Solberg (Hyundai i20 R5/Hyundai Motorsport N) forçado a desistir na derradeira classificativa.

FICHA DA PROVA

Prova – Rallye Automobile de Monte Carlo

Data – 21,/24 de Janeiro

Organizador – Automobile Club de Monaco

Estrutura – 1 392,88 km divididos por quatro etapas: Gap – Gap (131,62 km); Gap – Gap (497,21 km); Gap – Monte Carlo (491,42 km); Monte Carlo – Monte Carlo (272,63 km)

PC – 14 (2 + 5 + 3 + 4)

Extensão das PC – 257,64 km (41,36 km + 104,70 km + 57,10 km + 54,48 km)

Percentagem das PC – 18,49 %

Inscritos – 84 (10 RC1, 45 RC2, 9 RC4, 13 RC5, 7 RGT)

Participantes – 79 (10 RC1, 42 RC2, 10 RC4, 12 RC5, 5 RGT)

Classificados – 47 (8 RC1, 26 RC2, 5 RC4, 3 RC5, 5 RGT)

Comandantes sucessivos

Absoluto – Ott Tanak, na 1.ª e 2.ª PC; Kalle Rovampera, na 3.ª PC; Sébastien Ogier, na 4.ª e 5.ª PC; Elfyn Evans, na 6.ª e 7.ª PC; Sébastien Ogier, da 8.ª à 14.ª PC

RC1 – Ott Tanak, na 1.ª e 2.ª PC; Kalle Rovampera, na 3.ª PC; Sébastien Ogier, na 4.ª e 5.ª PC; Elfyn Evans, na 6.ª e 7.ª PC; Sébastien Ogier, da 8.ª à 14.ª PC

RC2 – Andreas Mikkelsen, da 1.ª à 14.ª PC

RC4 – Nicolas Latil, da 1.ª à 14.ª PC

RC5 – Jochem Claerhout, na 1.ª e 2.ª PC; Tim Van Parijs, da 3.ª à 14.ª PC

RGT – Cédric Robert, na 1.ª PC; Emmanuel Guigou, da 2.ª à 14.ª PC

Vencedores

Absoluto – Sébastien Ogier/Julien Ingrassia (Toyota Yaris WRC)

RC1 – Sébastien Ogier/Julien Ingrassia (Toyota Yaris WRC)

RC2 – Andreas Mikkelsen/Ola Floene (Skoda Fabia Rally2 Evo)

RC4 – Nicolas LatilJérôme Degout (Peugeot 208 Rally4)

RC5 – Tim Van Parijs/Kurt Heyndrickx (Renault Clio Rally5)

RGT – Emmanuel Guigou/Alexandre Coria (Alpine A110 RGT)

Classificação

POS. EQUIPA CARRO TEMPO
1.º Sébastien Ogier/Julien Ingrassia Toyota Yaris WRC 2.56’33,7″
2.º Elfyn Evans/Scott Martin Toyota Yaris WRC a 32,6″
3.º Thierry Neuville/Nicolas Gilsoul Hyundai i20 Coupé WRC a 1.13’5″
4.º Kalle Rovampera/Jonne Halttunen Toyota Yaris WRC a 2’33,6″
5.º Dani Sordo/Carlos Del Barrio Hyundai i20 Coupé WRC a 3.14’2″
6.º Takamoto Katsuta/Daniel Barritt Toyota Yaris WRC a 7.01’3″
7.º Andreas Mikkelsen/Ola Floene Skoda Fabia Rally2 Evo a 7’23,6″
8.º Gus Greensmith/Elliott Edmondson Ford Fiesta WRC a 8’21,1″
9.º Adrien Fourmaux/Renaud Jamoul Ford Fiesta MK II a 9’15,8″
10.º Eric Camilli/François-Xavier Buresi Citroen C3 Rally2 a 10’36,0″

Os mais rápidos

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º
Sébastien Ogier 8 1 1 1 1 1
Elfyn Evans 2 4 5 1 0 1
Thierry Neuville 2 1 2 3 4 0
Ott Tanak 2 1 1 2 0 0
Kalle Rovampera 0 4 3 3 1 0
Dani Sordo 0 2 2 1 2 5
Pierre-Louis Loubet 0 1 0 1 0 1
Takamoto Katsuta 0 0 0 1 2 1
Oliver Solberg 0 0 0 1 1 0
Gus Greensmith 0 0 0 0 1 2
Nikolay Gryazin 0 0 0 0 1 0
Yohan Rossel 0 0 0 0 1 0
Andreas Mikkelsen 0 0 0 0 0 3
Nicolas Ciamin 0 0 0 0 0 1

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Sébastien Ogier, 30 pontos; 2.º, Elfyn Evans, 21; 3.º Thierry Neuville, 17; 4.º, Kalle Rovampera, 16; 5.º, Dani Sordo, 11; 6.º, Takamoto Katsuta, 8; 7.º, Andreas Mikkelsen, 6; 8.º, Gus Greensmith, 4; 9.º, Adrien Fourmaux, 2; 10.º, Eric Camilli, 1

MARCAS – Toyota Gazoo Racing WRT, 51 pontos; 2.º, Hyundai Shell Mobis WRT, 28; 3.º, M-Sport Ford WRT, 4.

 

Próxima prova – Arctic Rally Finland Powered by CapitalBox, de 26 a 28 de Fevereiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *