175 mil Renault Mégane vendidos em Portugal

O mês de Março fica associado às 175 mil unidades Renault Mégane vendidas, um número que confirma o sucesso comercial de um modelo que, há quase um quarto de século, conquista o coração dos portugueses e que, inclusivamente, em cinco anos liderou a tabela de vendas.

(auto.look2010@gmail.com)

O sucesso da marca francesa do losango promete continuar, ou não seja uma das grandes referências do segmento C, em design, equipamentos tecnológicos, segurança, mas também por beneficiar de uma das mais evoluídas gamas de motores do mercado. Foi no início de 1996 que o Renault Mégane chegou a Portugal, sucedendo ao popular Renault 19.

E logo no primeiro ano completo de comercialização vendeu 7.351 unidades, repartidas pelas carroçarias 5 e 4 portas, mas também Coupé. A título de curiosidade, sublinhe-se que a versão Cabriolet só chegou à Rede de Concessionários em 1997, enquanto a Break chegou em 1999.

E se o Scénic da primeira geração, comercializado no final de 1996, inicialmente reivindicava a sua pertença à família Mégane, rapidamente se tornou um modelo autónomo dentro da gama Renault. Por isso, nos 175 mil Mégane vendidos em Portugal não estão contabilizados os mais de 40 mil Scénic vendidos no mesmo período, o que confirma a força da marca Renault (também) no segmento C.

A segunda geração do Renault Mégane chegou a Portugal em 2002, nas carroçarias 3, 4 e 5 portas, mas também Break. No ano a seguir, o modelo foi, pela primeira vez, um dos cinco mais vendidos no país. No entanto, em 2004, foi mesmo o automóvel preferido dos portugueses, com 14.575 unidades vendidas, 381 das quais da carroçaria Cabriolet que chegou a Portugal nesse ano. Bastante mais significativas foram, contudo, as vendas da Break que, pela primeira vez, se assumia como a preferida dos portugueses, com mais unidades comercializadas que todas as outras carroçarias juntas.

O ano de 2004 iniciou, portanto, um ciclo – que ainda hoje perdura – marcado por um enorme sucesso comercial: nos últimos 15 anos, apenas por uma vez, o Renault Mégane não esteve no Top 5 das vendas em Portugal. Aliás, em 2007, 2009, 2010, 2011 e 2012 foi mesmo o automóvel preferido dos portugueses. E, desde 2003, foi o líder do segmento C em 10 ocasiões.

No total, entre 1995 e Fevereiro de 2019, foram vendidas 175.353 unidades do Renault Mégane, com a seguinte repartição de carroçarias: 89.431 Break (51% das vendas totais), 61.785 5 Portas (35,2%), 10.843 4 Portas (6,2%), 7.388 Coupé (4,2%), 3.155 Cabriolet (1,8%) e 2.751 3 Portas (1,6% das vendas totais).

No que toca a gerações, a segunda do Mégane (2002 a 2009) foi a mais vendida, com 70.363 unidades. O Mégane III (2008 a 2016) foi a segunda geração com mais unidades comercializadas (51.383), seguindo-se o Mégane I (1995 a 2003) com 35.500 unidades e o Mégane IV (de 2015 até hoje), com 18.107 unidades vendidas.

A título de curiosidade, sublinhe-se que a actual geração do Renault Mégane Sport Tourer representa 63% das vendas. Um número bem diferente dos 8,2% da Break da primeira geração. Aliás, desde 2004 que o Mégane lidera, ininterruptamente, as vendas entre as carrinhas.

MÉGANE EMOTIVO COM MACEDO E AZEREDO NO NACIONAL DE RALIS

Mas a história do Renault Mégane, em Portugal, também se faz de emoções… Entre 1997 e 1999, o Renault Mégane Kit-Car deu espectáculo nos ralis nacionais, através dos pilotos José Carlos Macedo e Pedro Azeredo. Apesar de só ter duas rodas motrizes, ainda conquistou vitórias à geral e, mais importante do que isso, permitiu assegurar dois títulos absolutos de marcas à Renault, em 1998 e 1999.

Mas também entre 1997 e 1999, o Renault Mégane 2.0 16V serviu de base a um dos mais espectaculares e competitivos troféus monomarca de velocidade realizados no país. Apostas determinantes para que o Renault Mégane nunca fosse visto “apenas” como um familiar, reforçadas pelas várias séries especiais inspiradas na F1 e nos bem-sucedidos “assaltos” aos recordes de Nürburgring, com assinatura Renault Sport.

As muitas acções que a Renault Portugal tem desenvolvido com a sua comunidade nas redes sociais também têm sido importantes para a forte imagem de marca do Renault Mégane, com uns milhares de portugueses, um pouco por todo o país, a já terem tido o privilégio de viver – ao volante – as emoções do Mégane RS.

Mas uma referência, igualmente, para três acções que confirmam a relação emocional de Portugal com o Renault Mégane: em 2007, no Norte do país, a apresentação internacional do Mégane R.S. dCi 175 (sim, uma versão diesel); em Outubro de 2008, a apresentação do Mégane III, no âmbito do Renault F1 Roadshow na Avenida da Liberdade, em Lisboa; bem como a apresentação internacional do Mégane IV, em 2016, na região da Grande Lisboa.

E a saga promete continuar, quando o Renault Mégane não está longe de cumprir um quarto de século de vida…

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação